09 – Flor do Amanhã

Paulo Barroso e Edno Filizola
BXPA11400024

Ele

vamos juntos mais além

amanhã, quem saberá?

dar um passo neste chão

e se amar

e se entregar

viver o sempre

não me aflige esperar (*)

mas eu pulso e teimo em ser

ser mais vil que o amanhã

meu coração

procura ver

o mundo inteiro

e assim viver

como seguir só?

ah! que dor cruel

o amanhã tem

há essa incerteza de ser…

Ela

vem, que já é tarde, amor

e viva da chama

que o tempo não traz

não me pergunte

por onde andei

só aguarde o nosso amanhecer

veja como é bom sonhar  (*)

não pare, não corra

e nem pense mais

deixe ao sonho

tudo acontecer

frases soltas voam lá no ar…

lembram um tempo a mais

e este tempo faz

parecer bem mais

por achar que assim

vai fazer a dor desaparecer

dorme

dorme

amor

(*) oh! meu amor, seja o que for

    meu coração é sempre cheio

    da meiguice da flor do amanhã

    quem sabe, bom

    não há razão

    pra desistir de sonhar

vozCordeiro e Deise Capelozza

violãoPaulo Barroso

piano e cordas MidiJoão Bittencourt

baixo acústico MidiPaulo Barroso*

*(sobre arranjo baixolão – Celso Henrique)

flautaHenrique Amado

clarineteJussan Cluxnei

sax sopranoGiva Mendonça